Com a pandemia da Covid-19, diversos setores da economia sofreram com o impacto da crise gerada em decorrência das paralisações. No setor de aço não foi diferente.

Atenta ao cenário e com boa expertise na análise de crédito das empresas atuantes no setor siderúrgico, a Euler Hermes, empresa com foco em seguro de crédito, apresentou soluções ágeis para os seus segurados neste momento.

Segundo dados da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), estima-se que no ano passado, três quartos (76%) das empresas industriais reduziram ou paralisaram a produção, além de apresentarem uma queda na demanda por seus produtos. Dentre os empresários ouvidos, 45% reclamaram da inadimplência dos clientes.

Contudo, a Euler Hermes realizou revisões de portfólio para acompanhar de perto o comportamento das empresas do setor de aço diante desse momento tão adverso.

“Nós conseguimos de forma proativa agregar valor aos nossos clientes, realizando um monitoramento contínuo das empresas deste setor e disponibilizando uma análise completa e atualizada sobre seus compradores”, afirma Felipe Tanus, diretor de risco da seguradora. A parceria entre a seguradora e os clientes do setor foi intensificada durante o segundo semestre de 2020.

Isso por conta de maior resiliência por parte dos compradores, ao observar que estes apresentaram uma retomada na demanda bem rápida e acima de qualquer projeção estimada para o setor, impulsionada principalmente pelos setores de construção e bens de capital.

Aumento na cobertura de crédito

A produção do aço é um importante indicador do estágio de desenvolvimento econômico de um país. O Brasil se destaca nesse âmbito, ocupando hoje a nona posição na produção mundial do aço bruto e a primeira posição na América Latina, de acordo com levantamento do Instituto do Aço Brasil.

Além disso, o setor está diretamente correlacionado ao índice de produção industrial nacional, o qual apresentou crescimento de 4,4% no 1° trimestre de 2021 comparado ao 1° trimestre de 2020 segundo o IBGE.

Justamente por estar atualizada e acompanhando as perspectivas para este mercado, a Euler Hermes também notou um aumento substancial na quantidade de solicitações de cobertura de crédito de seus segurados.

Isto evidencia que o mercado está aquecido, pois estão formando estoque para se proteger de eventuais situações futuras de quantidade limitada de produto disponível no mercado ou de aumento nos custos em razão do impacto da desvalorização cambial e elevação de preços das commodities.

Crescimento favorável para retomada do setor

O Instituto do Aço Brasil também mostra que grande parte dos indicadores de produtividade e desempenho do setor acumulados de Jan-Mai/2021 apresentou uma elevação expressiva em níveis percentuais.

Eles refletem uma recuperação gigantesca da maior queda na demanda de aço que foi registrada entre os meses de Abril e Maio de 2020, como resultado da paralisação das atividades no setor em razão das medidas preventivas de lockdown.

A seguradora acredita em uma perspectiva positiva tanto para a demanda, quanto para a lucratividade praticada no setor de aço.

Contudo, o diretor comercial analisa que, embora os produtores de aço estejam trabalhando a todo o vapor para reabastecer o mercado local, os principais setores consumidores de aço também estão retomando suas atividades rapidamente e afirmam que há baixo nível de estoques disponível, com isso os preços praticados estão muito elevados.

“Este descompasso entre a oferta e a demanda no setor vem sendo fortemente percebida e acreditamos que ainda levará um tempo para se resolver, sendo estimado que se normalize no segundo semestre de 2021”, conclui.